IoT

IoT

IoT

 Internet das Coisas (IoT - Internet of Things) - A Nova Fronteira

 

A história da computação sempre foi caracterizada por períodos de desenvolvimento até que ocorra uma inovação disruptiva, que trazem mudanças imensas para o cenário de aplicação da tecnologia. A IoT é a mais recente delas. Esta denominação surgiu em 1999,  com o termo “Intеrnеt оf Things” – Internet das Coisas - cunhado pela primeira vez por Kеvіn Aѕhtоn.

 

Uma vez superada a natural resistência inicial, progressivamente a comunidade passou a vislumbrar novos e mais interessantes usos. As suas características intrínsecas, atreladas ao desenvolvimento de seus componentes estruturais, possibilitou a maturação ora experimentada, e que surpreende a todos a cada dia. As necessárias padronizações técnicas somente foram efetivadas em fins do ano de 2016, fazendo com que muitas das experiências iniciais passassem a ter a formalização tão necessária, gannhando à partir daí um impulso irreversível.

 

Este novo paradigma tecnológico traz novos horizontes para a utilização em benefício à nossa vida quotidiana. No entanto nas aplicações de cunho empresarial, denominada de “Internet of Corporate Things – IoCT",  que o real potencial se revela, junto aos inevitáveis desafios e novas aplicações, notadamente no uso para telemetria, sensoriamento e monitoramento. Para esta tecnologia se tornar útil, há um amplo conjunto de características técnicas, que ao serem convenientemente integradas, trazem vantagens sobre o paradigma disponível até então, onde se destacam os seguintes pontos:  

  • Disponibilidade no mercado de sensores para caracterização de diferentes eventos físicos, como medidas de temperatura, vazão, pressão, umidade, etc.
  • Regulamentação de protocolos de comunicação, para obtenção de mensurações, que podem ser parametrizadas e tomadas na periodicidade adequada às necessidades da aplicação
  • Capacidade de transmissão dos dados captados, utilizando a infraestrutura de comunicações existente e/ou novas tecnologias que independem das operadoras de comunicação, por utilizar-se de uma frequência livre
  • Possibilidade de tratamento de dados para as mais diferentes aplicações, propiciando que centrais de controle remotas possam atuar sobre tais dispositivos, como resposta aos eventos ocorridos
  • Disponibilidade de softwares de gerenciamento e tratamento destes dados, de modo a trazer grande eficiência aos contextos operacionais envolvidos, assim como suporte para a tomada de decisão
  • Definição de parâmetros de operação e avaliação sistemática e automática (SLA – Service Level Agreement), possibilitando que através deles, se obtenha grande economia, racionalidade e conformidade com as regulamentações, além de grande economia e elevado grau de sustentabilidade
  • Possibilidade de uso de componentes com consumo de energia extremamente reduzido, permitindo que diversas atividades sejam feitas apenas com o uso de bateria, com longo prazo de durabilidade
  • Permite implementações com reduzidos investimentos e marcante simplicidade de instalação, por prescindir da necessidade de cabeamento lógico e elétrico
  • Os dados coletados, transmitidos, tratados e utilizados são submetidos às  modernos procedimentos de segurança (criptografia AES 128 bits)
  • Ampla disponibilidade de infraestrutura de TI, fazendo com que novas versões de produtos, tenham versões específicas para esta nova realidade, como novas estruturas de bancos de dados, protocolos de comunicação, além de equipamentos especialmente projetados (sensores e componentes de rede de comunicação de dados em especial).

 

Posteriormente (fins de 2021) a tecnologia 5G (celular) foi regulamentada e será expandida progressivamente tornando-se viável técnica e economicamente. A TLM passou então a integrar este tipo de transmissão de dados, e o mesmo tempo a conexão através des rede wifi e Ethernet foram também implementadas na Plataforma, tornando-se assin capaz de receber qualquer uma delas, incluive em casos mais compexos elas podem vir a ser complementares, uma vez que podem coexistir.